Startup de Porto Alegre cria lâmpada ‘recorde’

Um empreendedor de Porto Alegre, incubado na Fundação de Ciência e Tecnologia (CIENTEC), criou uma fábrica de LED que aposta em inovação. A Ecolite é uma startup que desenvolve soluções em iluminação, com foco em lâmpadas, luminárias, refletores e fontes de energia.

O engenheiro mecânico Luiz Schmidt, 35 anos, criou o projeto com a intenção de encontrar uma forma de as empresas consumirem menos energia. Ele diz que isso é possível graças ao que chama de “lâmpada recorde”.

A sua LED ilumina 42,8% a mais que a melhor concorrente, garante. Assim, duas lâmpadas convencionais podem ser substituídas por uma recorde e continuar com quase a mesma iluminação no ambiente – o que gera uma queda na conta.

Schmidt conta que, no passado, trabalhava com projetos de ar condicionado central para uma multinacional. Ele lembra que os custos em eletricidade naquela empresa chegavam a R$ 100 mil mensais. Conforme Schmidt, se aquele cliente utilizasse a lâmpada, com a logística explicada anteriormente, diminuiria os custos em cerca de R$ 40 mil – já que a iluminação colabora para o aquecimento de ambientes.

Cada lâmpada custa R$ 40,00, mas é vendida apenas por encomenda, com pedidos acima de mil unidades. A restrição de público leva em conta o custo de produção e potencial prejuízo de estocar o material.

Com olhar para o setor público, Schmidt diz que os postes de rua consomem muita energia, principalmente, porque a maioria utiliza ainda as lâmpadas amarelas – de vapor de sódio. Para esse mercado, a ideia é oferecer uma luminária de LED mais simples que a recorde, mas ainda vantajosa, com um modelo que consuma cerca de 70% menos que as utilizadas hoje. “São usados produtos chineses, de qualidade parecida ou menor que a nossa, mas de preço elevado”, opina, sobre a iluminação pública. O objetivo do engenheiro é fornecer maior qualidade, menor consumo de energia e que a compra também seja mais barata, por não incluir importação e impostos adicionais. O projeto, que pretende concorrer a editais, será lançado oficialmente no segundo semestre.

Box Superior

De acordo com o último levantamento, realizado em 2015, pelo World Competitiveness Yearbook, indicador mundial sobre inovações em tecnologia, o Brasil está em 57º em desempenho tecnológico. Sendo que, este número tem aumentado, ou seja, o país veio decrescendo na área, sendo que em 2012, ocupava o 46º, e em 2011, 44º.

Mais informações em: http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2016/04/ge/noticias/491178-startup-de-porto-alegre-cria-lampada-recorde.html