Ecolite acaba de se graduar na ITCIENTEC

A história da Ecolite começou no quarto apertado de Luiz Schmidt. Aos 29 anos, o estudante de engenharia mecânica criava em seu escritório improvisado, soluções tecnológicas que contribuiriam significativamente para a economia de energia elétrica: lâmpadas de LED.

A ideia surgiu a partir de uma leitura, no canto da página de uma revista, que chamou a atenção do jovem empreendedor. Ele ficou fascinado pela ideia de gerar uma solução tecnológica que seria revertida em dinheiro para as pessoas. Assim, em 2010 ele criou a Ecolite, uma empresa destinada a desenvolver lâmpadas, luminárias, refletores e displays com esta tecnologia.

Na época, o fundador estava no último semestre da faculdade e apesar da vontade de iniciar sua trajetória empresarial a partir daquele momento, decidiu se graduar primeiro. Além disso, Schmidt frequentava outro curso, o de piloto de avião, e somadas, as atividades lhe tomavam muito tempo. Em 2010 e 2011, respectivamente, ambos os cursos foram concluídos.

Trabalhando em finais de semana e horas vagas, durante os cursos, o estudante foi arquitetando e planejando os primeiros passos de uma grande empresa. Criou e desenvolveu uma linha de luminárias LED, comerciais e residenciais, de teto, com características inovadoras.

Depois de dois anos dedicados ao projeto, Schmidt apresentou um plano de trabalho para concorrer a uma vaga na Incubadora Tecnológica da CIENTEC e teve 100 % de aprovação na banca. Começaria ali, uma nova etapa na vida dele.

Com o CNPJ registrado, o engenheiro vendeu seu carro, que segundo ele, valia pouco mais de R$ 20 mil e investiu na execução de tudo o que tinha projetado até então. Nessa época, ele trabalhava em uma empresa de engenharia que fazia projetos de climatização para as lojas Renner e investia todo o salário no seu negócio. Porém, o tempo para o seu sonho profissional foi ficando cada vez mais curto e ele pediu demissão do emprego para se dedicar à sua empresa. Outra saída de Schmidt para conseguir dinheiro, foi a venda de metade da empresa para um investidor, o que lhe rendeu cerca de R$ 600 mil, convertidos integralmente em capital de giro para a Ecolite.

Durante o tempo de incubação a empresa cresceu, contratando novos funcionários e ampliando a atuação no mercado. Além da criação de novos produtos e projetos a Ecolite se dedicou a comercialização, através da venda direta, com visitas a empresas. O incubado conta que a credibilidade da Fundação de Ciência e Tecnologia no Estado foi fundamental para que os negócios alavancassem. “A CIENTEC chancelou a Ecolite junto ao mercado. Muitas vezes tivemos a oportunidade de apresentar nosso produto pelo simples fato de estarmos na Incubadora Tecnológica da Cientec”, afirma.

Em menos de seis anos, desde a fundação da empresa, projetos grandiosos já foram desenvolvidos nos mais diversos segmentos. O portfólio de produtos da Ecolite é extenso e sempre está aberto a uma nova criação, inclusive para atender necessidades exclusivas dos clientes. Atualmente a empresa se dedica a projeto de lâmpadas, luminárias, refletores, fontes de energia, testes de protótipos, desenvolvimento de fornecedores e investidores.

O período de incubação acabou em fevereiro e a Ecolite, apesar de recém graduada, já tem uma marca de sucesso. Hoje, com uma equipe de três engenheiros, eles conseguiram quebrar o recorde nacional de eficiência energética em lâmpadas.

O modelo A60, produzido por esses jovens empreendedores, tem apenas 7 Watt ( 6,9 W ) e é capaz de iluminar como uma tradicional lâmpada incandescente de 100 Watt. Ela produz 909,5 lumens, batendo a marca de 131,81 lumens por Watt, cerca de 43% a mais que a lâmpada mais eficiente do mercado até então.

Questionado sobre como a Ecolite conseguiu essa façanha, passando a frente de grandes marcas reconhecidas pela eficiência energética, o CEO da empresa e coordenador do projeto afirma que o sucesso é reflexo da competência da equipe e sua vontade de fazer melhor. “Desde o início do projeto, a ideia era produzir algo inovador, explorando cada vez mais o avanço da tecnologia LED e a experiência no ramo de iluminação. Com a conclusão do projeto e 30 dias de testes no INMETRO veio a notícia: é recorde”, comemorou Schmidt.

O gráfico abaixo ilustra a capacidade da nova lâmpada da Ecolite em comparação com as principais marcas do mercado brasileiro, sendo aproximadamente 43% mais eficiente que a segunda colocada. Dados fornecidos pelos fabricantes.

NOTICIA002

Apesar de deixar a incubadora, a Ecolite continua no Centro Histórico de Porto Alegre, bem próximo da Cientec, na rua Washington Luiz, 526.

Mais informações em: http://www.cientec.rs.gov.br/?model=conteudo&menu=110&id=2484